__________________________________________

__________________________________________

__________________________________________

 

>>>>> TUBO DE ENSAIO. COMPOSIÇÃO [INTERSEÇÕES + INTERVENÇÕES]

Prêmio RUMOS Itaú Cultural 2014

Florianópolis, 2015/2016

 

O projeto articulou a noção de composição com ênfase nos cruzamentos entre as artes visuais, a dança, o teatro, o cinema e a música na contemporaneidade. Foi composto por laboratórios compositivos com artistas e pesquisadores de diferentes áreas e procedimentos; apresentação de trabalhos (processo, espetáculo, performance, conferência, palestra); conversas em forma de metálogo - um “compor com” artistas e pesquisadores que aciona a conversação entre diferenças de procedimentos, contaminação e reinvenção cruzada de problemas, questões e modos de funcionamento e organização de um livro resultante das ações e debates do evento - Tubo de Ensaio. COMPOSIÇÃO [INTERSEÇÕES + INTERVENÇÕES].

 

 

>>>>> CONSERVAÇÃO DOS DESENHOS DE MEYER FILHO

Prêmio Edital Elisabete Anderle/SC - 2014

Florianópolis, 2015/2016

 

Realizado com o apoio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, FUNCULTURAL e Edital Elisabete Anderle/2014. O projeto consistiu na higienização, conservação e acondicionamento das obras de arte em papel de Meyer Filho. Os desenhos foram higienizados, conservados e acondicionados adequadamente na reserva técnica do Instituto Meyer Filho, em Florianópolis, no prazo estipulado de doze meses.

 

 

>>>>> CONSERVAÇÃO E RESTAURO DAS OBRAS EM PAPEL DE MEYER FILHO

Lei Rouanet - Pronac 133635

Florianópolis, 2015/2016

 

Todas as 2.560 obras Foram higienizadas, acondicionadas em envelope de papel neutro ou em pasta suspensa de poliéster armazenadas em mapoteca ou arquivo de aço esmaltado. Destas, 606 foram submetidas a intervenção de Conservação/Restauro. Além de duas conservadoras, somavam-se à equipe quatro estagiários, sendo três deles através de convênio com a Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, os quais foram treinados na primeira etapa da execução dos trabalhos. Também, um fotógrafo foi disponibilizado para os registros da documentação eletrônica e alimentação do site do Instituto.

Patrocinadores: Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S/A; Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul/BRDE; ST Importações Ltda. 

O livro: ABACV, SJEAG, SIZEZ, SOCYO, SNEPA, MABUI E MACAC - Arquivos Implacáveis de Meyer Filho é resultado do projeto Conservação e Restauro das Obras em Papel de Meyer Filho, segundo produto do projeto, foi lançado em 5 de maio de 2017 no Memorial Meyer Filho, espaço expositivo localizado no centro da cidade de Florianópolis. A organização da publicação é de Kamilla Nunes e do artista e designer Pedro Franz, que assina também o projeto gráfico.

A Exposição: Seguindo a mesma linha de organização da publicação, e com vistas ao lançamento do Livro, o IMF organizou a exposição “Arquivos Implacáveis”, com curadoria de Kamilla Nunes. A exposição contou com desenhos e escritos do artista que foram conservados e restaurados, sobretudo os produzidos na década de 1950 e 1960.

 

>>>>> AÇÕES CURATORIAIS

Prêmio Edital Elisabete Anderle/SC.

Florianópolis, 2013

 

Primeira residência de curadores realizada no Brasil, uma iniciativa de Kamilla Nunes, Beatriz Lemos (Brasil) e Marta Mestre (Portugal), com a coordenação do Instituto Meyer Filho (Florianópolis, Brasil) e parceria do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina, que acolhe o programa público: debates e apresentações.

Nasce da constatação que a curadoria no Brasil necessita estruturar as suas práticas, profissionalizar os seus agentes, criar redes de intercâmbio que possibilitem desenhar estratégias comuns, e formular “pensamentos curatoriais” pela geração de profissionais que atuam em alguns dos mais importantes espaços e instituições do país.

Durante 10 dias, 10 curadores atuantes tanto no Brasil quanto na América Latina e Europa se reuniram para imersão, troca, visitas a ateliers de artistas de Santa Catarina, debate e apresentação de suas práticas curatoriais.

 

 

>>>>>  BESTIÁRIO

Individual de Meyer Filho 

Galeria Municipal de Arte da Fundação Cultural

Itajaí, 2011

 

Esta exposição com Curadoria de Kamilla Nunes foi realizada em 09 de Junho de 2011. A mesma exposição também foi realizada em Florianópolis no Memorial Meyer Filho no ano de 2012. Em 50 anos de produção, Meyer desenhou paisagens e fundos de quintal, galos, aves, personagens folclóricos, interpretou os signos do zodíaco, fez homenagens ao automóvel, pintou cenas eróticas, fez denúncias políticas através de charges e ilustrações, além das diversas “croniquetas” ilustradas. Por se tratar de um processo criativo compulsivo e constante, mas fragmentado enquanto temática, o recorte curatorial toca um assunto milenar: o bestiário. Os seres disparatados, os monstros e os híbridos, denominados por Meyer como “fantásticos”, “cósmicos” e “siderais”, permearam sua produção desde o final da década de 50, até suas últimas pinturas. Meyer Filho criou conjunções entre o homem, o animal e o cosmos, dando segmento às transformações e fusões destes elementos. Princípios que lhe permitiram gerar uma poética para ampliar e intensificar o mundo que lhe foi permitido viver.

 

>>>>> GAPF - 50 ANOS

Museu de Arte de Santa Catarina

Florianópolis, 2008 

 

Exatos 50 anos após a inauguração da primeira exposição do Grupo de Artistas Plásticos de Florianópolis (GAPF), a Fundação Hassis, o Instituto Meyer Filho e o Museu de Arte de Santa Catarina, com o patrocínio da Brognoli Negócios Imobiliários, promoveram, de 08 de agosto a 07 de setembro de 2008, no Museu de arte de Santa Catarina (MASC), a mostra “GAPF 50 Anos”, uma reconstrução da primeira exibição dos trabalhos artísticos do grupo, realizada em 1958. Para organizar este resgate cultural, foram reunidas obras, artigos de jornais, documentos da criação oficial do GAPF, fotografias e ilustrações sobre Cruz e Sousa, poeta homenageado na ocasião. Entre as 80 peças que fizeram parte da exposição do MASC, constavam 26 obras das que fizeram parte da primeira mostra coletiva do grupo em 1958, além de jornais, ilustrações e fotografias da época. Os trabalhos, de autoria de Aldo Nunes, Dimas Rosa, Ernesto Meyer Filho, Hiedy de Assis Corrêa (Hassis), Hugo Mund Júnior, Pedro Paulo Vecchietti, Rodrigo de Haro, Tércio da Gama e Thales Brognoli, tem a diversidade poética expressa através de desenhos, gravuras, xilogravuras, tapeçarias, estudos em preto e branco, pinturas e ilustrações.

 

 

>>>>>  MEYER FILHO, UM MODERNISTA SAÍDO DA LIRA

Fundo Estadual de Incentivo ao Turismo, Secretaria de Cultura Esporte e Turismo.

Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti

Florianópolis, 2007

 

Com curadora de Rosangela Cherem, a exposição "permitiu adentrar tanto pelas particularidades da história do modernismo como pelas inquietações do pensamento plástico deste que Meyer Filho é, um dos mais singulares artistas que viveram na Ilha-Capital de Santa Catarina". A mostra contou com um grupo curatorial formado por Kamilla Nunes, Lígia Czesnat, Rachel Reis e Rosângela Cherem e uma equipe de arte-educadoras composta por Fabiana Mateus, Marina Borck, Renata Patrão e Letícia Weiduschadt. 

Foram recriados dois ambientes, a mesa de trabalho e o gabinete onde Meyer Filho costumava guardar seus livros e materiais plásticos. O memorial recebeu a visitação de interessados em geral e alunos de escolas públicas e particulares municipais, com monitoria, leitura de obras e distribuição de material didático.

 

 

>>>>>  O DESENHO FANTÁSTICO DE MEYER FILHO

Serviço Social do Comercio - SESC

2007

 

Exposição itinerante de Meyer Filho organizada pelo Serviço Social do Comercio - SESC passou pelas cidades catarinenses de Joinville, Chapecó e Tubarão, Blumenau, Itajaí, Jaraguá do Sul e Criciúma. De acordo com o professor e crítico de arte João Evangelista de Andrade Filho, curador da mostra, o desenho de Meyer Filho "é uma vertente menos conhecida do seu trabalho, e de relevância não menor que as demais; provavelmente a mais fascinante de todas". Nesta mostra, o público teve a oportunidade de conhecer parte da produção em desenho e apreciar o aprofundamento da sensibilidade poética de Meyer Filho. O Projeto contou com um trabalho de arte-educação com escolas de ensino fundamental e médio.

 

 

>>>>>  HASSIS & MEYER FILHO: RESSONÂNCIAS MODERNISTAS

Museu Hassis e Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti.

Florianópolis, 2007

 

Em novembro de 1957, uma mostra no Instituto Brasil Estados Unidos (IBEU), em Florianópolis, reunia a produção de Meyer Filho e Hassis. Para marcar a data, no dia 27 de novembro as filhas dos artistas Meyer Filho (1919-1991) e de Hassis (1926-2001) – Sandra, Luciana e Leilah – uniram-se para marcar um momento histórico na cena artística catarinense. O projeto “Ressonâncias Modernistas. Hassis e Meyer, 50 Anos de Motivos Catarinenses” realizou duas mostras, uma no Museu Hassis e outra na Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti. A intenção foi lembrar os 50 anos da exposição “Pintura e Desenhos de Motivos Catarinenses”, considerada um marco do modernismo catarinense. A equipe curatorial do projeto é composta por Luciene Lehmkuhl, Leilah Corrêa, Luciana Corrêa, Kamilla Nunes e Sandra Meyer.